Destaque

Adidas: Saiba sobre os valores do contrato novo do Tricolor!

Cinco anos e meio de contrato, R$ 15 milhões anuais pagos só pelo patrocínio, 26% de royalties por produto vendido, com uma taxa evolutiva, e abertura da megaloja no estádio do Morumbi. Esses são alguns detalhes do contrato entre São Paulo e Adidas, que a partir de junho será responsável pela confecção do material esportivo do clube.

Quem teve acesso ao documento assegurou à reportagem que há outras vantagens, como o valor pago em material esportivo (mantido em segredo por cláusulas contratuais) e um bônus por conquistas.
O acordo entre as partes foi firmado há duas semanas, passou pelo conselho de administração na última sexta-feira, onde foi aprovado de forma unânime, e agora seguirá ao conselho deliberativo para aprovação final.

Quem teve acesso ao contrato afirmou para a reportagem que não vê chance de ele ser reprovado.

O envio da minuta do contrato com a Adidas aos conselheiros é uma exigência do estatuto do São Paulo por conta das altas cifras envolvidas e também pelo fato de o prazo final do vínculo com a empresa alemã extrapolar o atual mandato do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. Ele ficará no cargo até 31 de dezembro de 2020.

A reunião no conselho, contudo, não tem uma data marcada para ocorrer.

Além dos valores, o contrato recebeu elogios internos por resgatar a megaloja dentro do Morumbi. A Under Armour (atual patrocinadora esportiva do São Paulo) é a proprietária do espaço no estádio, mas não o utiliza para fazer vendas. Usa apenas como exposição dos produtos (o que se restrige a camisas, calções e meiões).

Muitos no clube veem isso como um erro da empresa americana, que desperdiçava a oportunidade de aumentar as vendas durantes os jogos da equipe. Em 2017, o São Paulo teve uma média superior a 30 mil pagantes em casa.


Um diferencial entre o contrato com a Adidas e com a Under Armour e que a empresa americana tinha um pagamento mínimo garantido no caso de venda de material esportivo. Isso assegurava ao São Paulo o retorno financeiro independentemente de ocorrer um aumento nas vendas.

Na visão dos envolvidos, a inexistência desta cláusula deve-se a novas práticas no mercado.

Fonte: ESPN

Clique para adicionar um comentário

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Mais em Destaque

Ganso no São Paulo em 2019?

saopauloadmin8 de dezembro de 2018

São Paulo entra forte na briga por Jarlan Barrera, diz Nicola

saopauloadmin7 de dezembro de 2018

Bruno Alves na China?

saopauloadmin6 de dezembro de 2018

OFICIAL! Léo Pelé é anunciado pelo São Paulo por 4 anos

saopauloadmin5 de dezembro de 2018

São Paulo acerta com Igor Vinícius

saopauloadmin4 de dezembro de 2018

Carta Aberta: “Rodrigo Caio, de torcedor do São Paulo para um torcedor “não mais tão” torcedor”

saopauloadmin4 de dezembro de 2018

Torcida Organizada antecipa 2019 e avisa: “a cobrança será geral”

saopauloadmin3 de dezembro de 2018

Hudson fala de missão do São Paulo contra a Chape

saopauloadmin1 de dezembro de 2018

Jogo ofensivo, volantes participativos e posse de bola: as ideias de Jardine

saopauloadmin30 de novembro de 2018