Destaque

Prejudicado pelo árbitro, São Paulo perde de novo e cai na Libertadores


Buy cheap Viagra online

Acabou o sonho do tetra do São Paulo. Sim, era difícil ir até a final depois de perder por 2 a 0 em casa, mas o Tricolor foi valente em Medellín. Lutou até onde pode com todas as suas limitações. E sai da Libertadores com a sensação de que poderia ter sido diferente – afinal, um pênalti claro não foi marcado para a equipe brasileira quando a partida ainda estava 1 a 1. Por ironia, foi uma penalidade (mão de Carlinhos) que deu a vitória por 2 a 1 aos colombianos.

O Atlético Nacional, agora, espera o adversário das finais dos dias 20 e 27 de julho. Boca Juniors e Independiente del Valle, que venceu o primeiro jogo por 2 a 1 no Equador, decidem a vaga em jogo nesta quinta-feira, em La Bombonera, na Argentina. Ainda sobre o jogo de Medellín, o juiz Patricio Polic se complicou na partida. Não deu pênalti, errou expulsão, usou critérios diferentes…

Ao São Paulo, então, resta o Campeonato Brasileiro. O Tricolor volta a campo no domingo, às 16h, contra o rival Corinthians, em Itaquera, em partida válida pela 15ª rodada.

Primeiro tempo

Um gol com oito minutos de bola rolando. E do São Paulo. A partida começou bem para a equipe tricolor. Michel Bastos acertou bom cruzamento da esquerda, e Calleri, de cabeça, abriu o placar. O argentino, porém, conteve a euforia dos companheiros com um “tranquilo, tranquilo”. Parecia prever que a pedreira Atlético Nacional levaria muito perigo.

Pior do que isso. Aos 15 minutos, Borja, autor dos dois gols na vitória por 2 a 0 no Morumbi, fez o gol de empate, após vacilo da zaga são-paulina, em especial de Lugano. Depois disso, ambos os times tiveram chances de ampliar. O São Paulo teve uma cabeçada de Calleri no travessão e um gol perdido pelo argentino na pequena área. Os colombianos perderam boa chance com Moreno.

No final da primeira etapa, o São Paulo foi prejudicado pela arbitragem. Michel Bastos deu bom passe para Hudson, que se preparava para chutar a gol quando Bocanegra o derrubou na área. Pênalti claro que o árbitro não assinalou. Os jogadores do Tricolor se revoltaram e foram para o vestiário muito irritados. “Eu estava absoluto para fazer o gol”, argumentou Hudson.


Segundo tempo

No retorno para o segundo tempo, nada mais natural do que o São Paulo partir ao ataque. Ainda faltavam dois gols para a classificação. Mas o bom toque de bola do Atlético Nacional assustava. Para tentar surpreender, Bauza colocou Alan Kardec e Luiz Araújo nos lugares de Hudson e do argentino Centurión.

Aos 15 minutos, um lance de tirar o fôlego dos são-paulinos. Borja (sempre ele!) apareceu bem na área, driblou Denis e deixou a bola para Berrio. Sem goleiro, ele bateu e viu Bruno tirar em cima da linha. Ufa! O jogo foi ficando mais morno com o tempo. A boa troca de passes era a arma dos colombianos para esfriar a partida.

E o São Paulo, sem conseguir finalizar na segunda etapa, sofria com a distância do gol. Para piorar, o Atlético Nacional chegou ao segundo gol aos 32 minutos, em pênalti cobrado por Borja. O árbitro marcou mão de Carlinhos. Durante a comemoração dos colombianos, uma confusão. Lugano e Wesley foram expulsos, ambos por reclamação.

Antes dessa definição, o árbitro expulso de maneira equivocada Michel Bastos. Depois corrigiu dando vermelho para Wesley. E Lugano, que já tinha amarelo, foi retirado por ter batido palmas após o pênalti. A alegação do uruguaio é que estava batendo palmas para incentiva o time. No retorno da bola rolando, nada mudou, e o Atlético Nacional está na final da Libertadores.

Fonte: Ge

Clique para adicionar um comentário

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Mais em Destaque

relacionados copa audi

Grêmio abre negociações com lateral tricolor e aguarda liberação do São Paulo

saopauloadmin22 de janeiro de 2017
titulo

Lugano é elogiado por Ceni: “Segundo técnico”

saopauloadmin22 de janeiro de 2017
cenisidao

Rogério Ceni não poderia comemorar 44 anos de maneira melhor. Com o primeiro troféu como técnico. Com apenas 18 dias de trabalho. Em cima do odiado Corinthians. Gostem ou não, Ceni nasceu para brilhar…

saopauloadmin22 de janeiro de 2017
elencofloridacuplugano

São Paulo bate Corinthians, e Sidão se consagra

saopauloadmin22 de janeiro de 2017
ceni

São Paulo vai armado para o clássico

saopauloadmin21 de janeiro de 2017
rogerio_sao_paulo

Rodrigo Caio é o balanço tático do sistema de Rogério

saopauloadmin20 de janeiro de 2017
ceni

Roupa social, chute em placa e muitos gestos: a estreia de Ceni como técnico

saopauloadmin20 de janeiro de 2017
al-jazira-jucilei-shandong-640x480-divulgacao

Segundo UOL, volante está perto de assinar com o São Paulo

saopauloadmin20 de janeiro de 2017
sidao

Final! Sidão pega 2 penais e São Paulo elimina o River Plate nas semis da Florida Cup

saopauloadmin20 de janeiro de 2017