Destaque

Jucilei vira ponto de equilíbrio no São Paulo e lidera time em roubadas de bola

Jucilei liderou a estatística de roubadas de bolas no clássico San-São do último domingo, na Vila Belmiro. Ele e Hudson, pelo São Paulo, tiraram a posse dos adversários cinco vezes cada e foram os melhores no quesito entre os dois times durante o empate sem gols.

A estatística do clássico não se trata de uma ocasião de um só jogo. Isso porque, no Brasileirão, Jucilei é o maior ladrão de bolas do São Paulo: são 62 roubadas em 18 partidas, uma média de 3,44 por jogo. Considerando todos os times da competição, o volante tem a quinta melhor média (veja nas tabelas abaixo).

O Tricolor, por sua vez, é o terceiro melhor time da competição neste fundamento, atrás de Flamengo (segundo) e Internacional (primeiro): são 471 roubadas, com média de 18,84 por partida.

Qual é, então, o segredo para Jucilei desarmar os adversários e manter a posse?

– A leitura de jogo é muito importante, a aproximação… Geralmente, os campos aqui no Brasil são bem molhados e dificultam o domínio do adversário. Então você tem de estar bem próximo – disse Jucilei.

Não à toa, o grito da torcida do São Paulo de “é Jucilei” costuma ser um dos mais altos nas escalações. O volante é um dos jogadores mais regulares do time de Diego Aguirre. Virou uma espécie de ponto de equilíbrio.

Mesmo em ocasiões nas quais o São Paulo não tem uma boa atuação, como no caso do clássico, Jucilei consegue se destacar.


* Fonte: Espião Estatístico / GloboEsporte.com
** Considerando atletas que tenham participado de no mínimo 40% dos jogos no Brasileirão

A estatística positiva do São Paulo nas roubadas de bola ajuda a explicar o desempenho da quarta defesa menos vazada do Brasileirão, ao lado do Cruzeiro. São 19 gols sofridos, atrás de Grêmio (líder, com 12), Internacional (segundo, com 15 – já contando a derrota por 2 a 1 para a Chapecoense, nesta segunda-feira) e Palmeiras (terceiro, com 17).

– Temos tomado poucos gols. Mas não só por causa de mim e do Hudson. A defesa começa lá na frente, com o Nenê e os pontas. E nossos zagueiros também. Eu e o Hudson encaixamos bem. Foi um encaixe perfeito – disse Jucilei.

No momento em que o São Paulo tem seu ataque questionado (fez dois gols nos últimos quatro jogos), a consistência defensiva tem sido o grande trunfo. O Tricolor não sofre mais de um gol numa partida desde a derrota por 2 a 1 para o Grêmio, no dia 26 de julho.

Desde então foram 12 partidas, entre Brasileirão e Sul-Americana, com seis gols sofridos. Média de uma bola na rede contra a cada dois jogos.

Diante do América-MG, sábado, no Morumbi, Jucilei e o São Paulo só pensam em uma coisa: três pontos.

– Independentemente do placar, tem de ganhar os três pontos. Respeitando o América-MG, mas dentro de casa o São Paulo tem de ganhar.

FOnte:

Clique para adicionar um comentário

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Mais em Destaque

Roubado! São Paulo sofre mais uma derrota

saopauloadmin18 de fevereiro de 2019

Segundo jornalista, Cuca retornará ao futebol mais cedo que o previsto

saopauloadmin17 de fevereiro de 2019

Mancini não garante Nenê “titular” no São Paulo: “Ser meu amigo não o credencia a isso”

saopauloadmin16 de fevereiro de 2019

Mancini diz que só aceitou ser interino por Cuca: ‘É o técnico ideal’

saopauloadmin15 de fevereiro de 2019

São Paulo contrata Cuca

saopauloadmin14 de fevereiro de 2019

Reapresentação com novidades para semana de decisão

saopauloadmin11 de fevereiro de 2019

Discurso de Jardine não é traduzido em campo, e São Paulo se vê em crise

saopauloadmin10 de fevereiro de 2019

Organizada ameaça elenco e Leco e diz que prazo é até 4a feira

saopauloadmin7 de fevereiro de 2019

Nos últimos quinze jogos por competições sul-americanas, SP acumula treze expulsões

saopauloadmin7 de fevereiro de 2019